Cama compartilhada: a verdade sobre crianças que dormem com os pais!

cama compartilhada

Será que a cama compartilhada é segura para o bebê? Até que idade a criança pode dormir com os pais? Existem consequências para filhos que dormem com os pais? Se você tem essas e outras dúvidas sobre cama compartilhada, veja neste artigo um guia completo sobre o assunto.

A seguir, falarei sobre as vantagens e desvantagens de dormir com os filhos e contarei um pouco sobre a minha experiência com esse assunto. Sendo assim, confira o artigo até o final para entender a verdade sobre a cama compartilhada. 

Os desafios para as crianças e pais das aulas à distância em tempos de pandemia

Desfralde: saiba tudo sobre essa importante fase das crianças

Os filhos podem dormir com os pais?

Há uma discussão enorme sobre esse assunto. De um lado, especialistas falam sobre os benefícios para os bebês em dividir a cama com os pais. De outro, organizações alertam para os riscos que essa prática pode oferecer. Sendo assim, é importante deixar claro algumas considerações sobre esse tema.

  • Dormir com os pais traz benefícios para o bebê e para a mãe: segundo James McKenna, há evidências de que a cama compartilhada auxilia no descanso da mãe e contribui para a amamentação do bebê. Os dados foram obtidos em um estudo realizado pela Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos.
  • Dormir com os pais aumenta o risco de morte súbita: segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, há uma maior incidência de Síndrome de Morte Súbita do Lactente em bebês que dormem em cama compartilhada. 
  • Dormir com os pais aumenta o risco de sufocamento: diversos órgãos de saúde, estudos e revistas científicas, alertam para o risco de sufocamento de bebês por causa de lençóis, travesseiros e outros itens presentes na cama dos pais.

5 valores essenciais que os esportes transmitem para as crianças

7 mitos e verdades sobre a cama compartilhada

  1. A vida íntima do casal é minada por dormir com os filhos: MITO. Os pais não precisam ter a vida íntima apenas na cama e há momentos em que eles podem desfrutar da privacidade. 
  2. Dormir com o bebê facilita nos cuidados noturnos: VERDADE. É muito mais fácil amamentar, trocar as fraldas e cuidar do bebê estando na mesma cama.
  3. Os bebês ficam mal-acostumados por dormir com os pais: DEPENDE. Cada criança é diferente, assim como os pais. O que determina isso é a criação de um modo geral.
  4. Os laços entre pais e filhos que dormem juntos é maior: MITO. O fortalecimento do laço afetivo não depende da cama compartilhada, mas sim de um conjunto de ações do dia a dia.
  5. Há riscos em fazer a cama compartilhada: VERDADE. Se não for feita com os devidos cuidados, há riscos de morte súbita, estrangulamento, sufocamento e até mesmo da criança cair da cama.
  6. É possível fazer cama compartilhada com segurança: VERDADE. Há formas de tornar a prática segura.
  7. É difícil tirar a criança da cama dos pais depois: VERDADE. Convencer a criança a dormir no próprio quarto é mais difícil, quando há adesão à cama compartilhada. 
cama compartilhada

Quais são as vantagens e desvantagens da cama compartilhada?

Considerando tudo que foi mencionado até aqui, as principais vantagens é: 

  • Possibilidade de cuidar do bebê facilmente durante a noite
  • Descanso maior para a mamãe nos primeiros meses;
  • Possibilidade de vigiar melhor o bebê durante o sono;
  • Amamentação mais fácil.

Já as desvantagens são:

  • Apego, dos filhos e dos pais, em alguns casos;
  • Riscos para a saúde do bebê, caso não seja feita com segurança;
  • Dificuldade em convencer a criança a dormir sozinha no futuro.

Vigilância dos Pais: como dosar o que o filho precisa e o que pode ser exagero

Você já ouviu falar sobre a adolescência do bebê? Conhecida como Terrible Two

Como fazer cama compartilhada com segurança?

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que a cama compartilhada não seja feita, pois há mais riscos do que benefícios para a saúde dos bebês. Contudo, a organização recomenda que os bebês durmam no mesmo quarto que os pais até os 6 meses de vida em um berço próprio. Assim é possível cuidar melhor do bebê, descansar e beneficiar a amamentação. 

Sendo assim, a organização e outras instituições de saúde recomendam a utilização de berços que permitem fazer a cama compartilhada, desde que o bebê não seja colocado diretamente na cama dos pais. Além disso, é importante evitar travesseiros, cobertores, pelúcias e outras coisas volumosas que possam sufocar o bebê. 

Meu relato

Bem, a cama compartilhada por aqui sempre existiu. Na verdade, antes de casar Luiz Miguel já dormia comigo, era uma cama de casal para nós dois, depois que desmontei o berço.

Assim que casei, ele passou a ter o quartinho montado para ele, foi um período de adaptação, acordava a noite ia para meu quarto, e eu voltava com ele para cama, deitava com ele até dormir. E assim conseguimos vencer esse processo.

Crise conjugal pós maternidade: como anda seu casamento?

Já com a Laura está sendo bem mais difícil, até porque se for como a mãe…. vai demorar. Eu dormi com meus pais até uns 12/13 anos. Laura está indo pelo mesmo caminho, ela dorme coloco na cama dela, as 2h sempre, todos os dias ela vai para minha cama. E sinceramente, não tenho mais pique e animo para levantar e voltar com ela para cama dela. É tão automático, que ela mesmo sobe e deita no nosso meio. Ela sempre dormiu com a gente, então esse processo hoje é mais complicado.

cama compartilhada
Minha realidade de todos os dias. Registro do papai.

Assim sigo, sem neura, até porque esse aconchego é muito bom. E você, faz cama compartilhada ou pretende fazer? Conte nos comentários sua experiência com esse tema. 

Posts Relacionados

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais