Comunicação não violenta e sem culpa: Entenda como funciona!

comunicação não violenta

Quem é pai ou mãe tem que lidar com momentos de conflitos diariamente, principalmente quando os filhos estão aprendendo sobre limites, regras e a lidar com suas próprias frustrações. No entanto, a forma como os pais lidam com a situação de conflito faz toda a diferença, sendo que a comunicação não violenta tem sido uma das formas mais recomendadas para conversar com as crianças. 

Se você ainda não conhece a comunicação não violenta, veja a seguir como funciona esse tipo de linguagem, entenda como a violência é inimiga da educação e a importância de se comunicar sem violência. 

15 maneiras de perguntar ao seu filho: “Então como foi a escola hoje?”

O que é comunicação não violenta? 

Desenvolvido por Marshal Rosenberg, um psicólogo americano, a comunicação não violenta ou CNV, é um processo de comunicação que consiste em se comunicar com empatia, atenção, compaixão e respeito ao outro. 

A comunicação não violenta é utilizada, inclusive, em grandes empresas e no convívio com qualquer pessoa. Por isso, é tão importante ensinar as crianças desde muito cedo que a forma mais correta de se comunicar é por meio da CNV. 

Essa comunicação tem como objetivo entender o comportamento do outro, a ter compreensão e a se colocar no lugar da pessoa. Os princípios da comunicação não violenta são: observação, sentimento, necessidade e pedido. Veja a seguir cada um desses princípios.

Observação

Se estamos incomodados com determinada situação, o primeiro passo é observar, sem fazer julgamentos. É preciso se distanciar de valores, moralidade e tudo que possa atrapalhar a observação dos fatos. 

Sentimento

Depois de observar, a comunicação não violenta exige identificar e nomear aquilo que sentimos a partir da observação. Pode parecer fácil, mas é difícil interpretar o que sentimos sem julgar nossos próprios sentimentos. Isso porque nos sentimos vulneráveis e nem sempre queremos nos abrir para o outro. 

A importância biológica de um sono de qualidade

Necessidade

Nessa etapa é preciso entender as necessidades por trás dos sentimentos observados. Ou seja, o que queremos de fato, quais são os desejos e as necessidades. 

Pedido

Sabendo exatamente como nos sentimos, como nos comportamos e quais são as necessidades, é muito mais fácil pedir, com um discurso positivo, aquilo que queremos. 

A importância da comunicação não violenta para as crianças

Ensinar as crianças a se comunicar com empatia, respeito, compaixão e atenção é importante para o próprio amadurecimento delas e para o convívio com outras pessoas. A comunicação não violenta ou educação não violenta, traz inúmeros benefícios, tais como:

  • Entender a necessidade da criança a partir de seu comportamento
  • Reduzir conflitos entre pais e filhos e entre irmãos
  • Fortalecer a autoestima e a autonomia da criança
  • Expressar frustrações sem se sentir culpado
  • Estabelecer uma relação de confiança e cooperação
  • Expor suas necessidades e desejos de forma que a criança entenderá

Entenda que uma linguagem não violenta não significa deixar os filhos viver sem limites, regras e disciplina. Na verdade, viver essa educação é mostrar de forma passiva que a comunicação violenta não possibilita atender às necessidades do outro. 

Por isso, treinar a conversa não violenta é a melhor forma de construir uma relação sólida, de respeito e confiança com as crianças. E o melhor de tudo, a comunicação sem violência é sem culpa. Todos entendem e compreendem as necessidades do outro. 

Você já conhecia a comunicação não violenta? Conte sua experiência sobre esse tema!

Posts Relacionados
Comente nossa postagem!

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais