fbpx

Olá famílias, tudo bem?!

Quando pegamos nossos filhos na escola, estamos ansiosos para saber como estão, o que fizeram, o que aprenderam, se jogaram ou se repreendeu o professor, no entanto, a resposta mais provável e curto que temos é: “foi bom” / e ou”foi legal”.

crianças que gostam de conversar, não há necessidade de  perguntas sobre os detalhes do dia-a-dia, elas são capazes de dizer o que aconteceu com elas, seu amigo e até mesmo sobre a turma ao lado.

escola

 

“Então como foi a escola hoje?”

Por aqui, Luiz Miguel se enquadra perfeitamente na categoria das crianças que contam pouco ou nada contam sobre a escola.  Todos os dias perguntamos e sempre  a resposta é a mesma, “legal”!

Conversando com outras mães, percebi que não era apenas comigo que acontece. E sempre escuto, é uma fase, vai passar. Uma fase? Sim pode até ser, mas pensando com meu botões resolvi fazer diferente, as perguntas não estavam sendo feitas de forma correta, então tentei outra tática!

Foi quando comecei a fazer perguntas como estas:

1. O que fez você sorrir hoje?
2. Você foi bom com alguém hoje? Ou você viu alguém sendo bom com outra pessoa?
3. Você viu alguém fazendo uma coisa que não era legal com outra pessoa?
4. Todos os amiguinhos tinham com quem brincar na hora do recreio?
5. Alguém fez alguma coisa engraçada na escola, que fez você rir?
6. Alguém chorou hoje na escola?
7. Você fez alguma coisa criativa hoje?
8. Qual é a coisa que todo mundo está adorando brincar no recreio?
9. Qual foi a melhor coisa que aconteceu no seu dia?
10. Você ajudou alguém hoje?
11. Alguém te ajudou? Você falou obrigado?
12. Com quem você sentou na hora da merenda?
13. Houve algo na escola que você não entendeu muito bem?
14. Quem te inspirou hoje? Alguém fez algo que te causou admiração?

escola

 

Leia também:

Melhores Pais: 8 chaves para educar as crianças

Educar os filhos em valores: um valor para cada mês do ano

Meu Relato

Está experiência tem sido bem valiosa, o diálogo tem melhorado bastante fazendo a conversa ser mais prolongada, e não recebendo apenas uma palavra como resposta. As perguntas com melhor resultado, são de números 1, 8 e 12.

Após esta iniciativa, tem dias que não é preciso nem as perguntas que ele já chega contando algo, e isto me deixa bem realizada, pois vejo a mudança acontecendo.

Leandro também me ajuda bastante nesta parte, pois a forma como fala, brincando, faz com que ele se solte e converse mais.

Essas são ideias para treinar a escuta de seus filhos e praticar uma comunicação muito mais afetiva e interessante.

escola

E ai na casa de vocês, como acontece, qual categoria se encaixam, dos que falam ou dos que não falam? Deixe seu comentário compartilhando sua experiência, ou mesmo de sugestões de tema.

Espero que tenham gostado!

Abraços, Mayara Figueredo!

Autor

Sou Mayara Figueredo, tenho 34 anos. Mãe em tempo integral, esposa e administradora do lar!  Venha compartilhar seus momentos e experiências na maternidade comigo. Sejam bem vindos!

8 Comentários

  1. Pingback: Day Use Angico Hotel Fazenda

  2. Ótimas dicas, Mayara! Já cheguei a falar disso também no meu blog pq eu tinha essa coisa meio automática de perguntar “como foi seu dia?” e o Migs tinha essa coisa meio automática de responder “foi legal”. Até que vi um artigo com perguntas diferentes como essas pra fazer. Dá super certo pra puxar mais conversas e trocar mais experiências, é uma dica perfeita pra enriquecer as relações de família <3

    • Mayara Figueredo Resposta

      Oi Rafa! da super certo mesmo, adiantou muito aqui! Obrigada por nos visitar!

  3. Leandro Figueredo Resposta

    Ótimo post!!!
    Tem que fazer malabarismo para pegar uma informação do LM.
    Mas é muito divertido.

Deixe seu comentário

Pin It
Traduzir
error: Content is protected !!