A influência da tecnologia na infância

Olá, pessoal!

Nesse mundão cada vez mais tecnológico em que vivemos, tem se tornado cada vez mais difícil evitar o contato dos bebês, crianças e adolescentes às telas. É celular, notebook, televisão… Tantas coisas! E acaba sendo uma tentação muito grande para os pais em alguns momentos, afinal, que mamãe nunca passou pela situação de estar cheia de tarefas, com o seu filho a solicitando o tempo todo, recusando-se a focar em brincadeiras?

A gente vê aquele celular, pensa naquele monte de vídeos que com certeza vão conquistar a atenção do seu filho e a tentação de expor ele às telas surge! Mas hoje vou falar um pouco sobre o porquê devemos resistir a isso, afinal, as telas tem uma influência bem negativa no sono e na qualidade de vida geral do bebê!

Porque devemos desistir?

Em Abril deste ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou em sua cartilha “Guidelines on Physical activity, sedentary behaviour and sleep for children under 5 years of age” a recomendação de que crianças de até cinco anos de idade não devem passar mais de 60 minutos por dia diante de uma tela de smartphone, computador e tv. E mais! Alertou que bebês com menos de 12 meses de vida não devem passar um minuto sequer na frente de dispositivos eletrônicos!

A razão para este alerta é que o uso de telas tem estimulado o sedentarismo e, consequentemente, a obesidade infantil. 40 milhões de crianças em todo o mundo estão acima do peso.

Se durante o dia as telas são um grande estímulo ao sedentarismo – quantas vezes uma criança já não se recusou a realizar brincadeiras e atividades físicas para ficar em frente ao celular? -, à noite ela também contribui para a privação de sono. A luz das telas diminui a produção de melatonina, hormônio responsável por induzir o nosso sono!

Quando a gente pensa nessas questões, o ideal é estabelecer regras. Para as crianças maiores, nada de telas (no mínimo uma hora) antes de deitar. Evite colocar uma TV no quarto do seu filho! Existem várias opções de estímulos mais saudáveis, como pudemos ver na coluna do mês passado.

Abaixo as orientações referentes à esta cartilha da OMS, que foram divididas por faixa etária!

Leia também:
Como ajudar uma criança com dependência em celular ou tablet

Orientações da Organização Mundial de Saúde sobre o uso de telas e a prática de atividades físicas

Bebês (menos de um ano)

Devem estar fisicamente ativos várias vezes ao dia de várias maneiras, particularmente por meio de brincadeiras interativas no chão. Quanto mais, melhor. Para os que ainda não sabem andar, essas atividades físicas devem incluir pelo menos 30 minutos em posição de bruços, repartidos ao longo do dia, nos momentos em que os bebês estiverem acordados;

Não devem permanecer sob formas de contenção e restrição do movimento por mais de uma hora seguida — por exemplo, em carrinhos de bebê, cadeiras altas ou nas costas de um cuidador. Não se recomenda que passem tempo diante de telas de dispositivos eletrônicos. Em momentos de inatividade, recomenda-se que um cuidador leia ou conte histórias;
Devem ter de 14 a 17 horas (no período do nascimento aos três meses de idade) ou de 12 a 16 horas (no período de quatro a 11 meses de idade) de sono de boa qualidade, incluindo cochilos.

Crianças de um a dois anos de idade

Devem passar ao menos 180 minutos em uma variedade de atividades físicas em qualquer intensidade, incluindo atividades físicas de intensidade moderada a elevada, distribuídas ao longo do dia. Quanto mais, melhor;
Não devem ficar restritas por mais de uma hora seguida — por exemplo, em carrinhos de bebê, cadeiras altas ou nas costas de um cuidador — nem permanecer sentadas durante longos períodos de tempo. Para crianças de um ano de idade, não se recomenda nenhum período de tempo em atividades sedentárias em frente a uma tela (assistindo à TV ou vídeos ou em jogos de computador). Para aquelas com dois anos de idade, o tempo sedentário em frente às telas não deve ser superior a uma hora. Quanto menos, melhor. Em momentos de inatividade, recomenda-se que um cuidador leia ou conte histórias;
Devem ter de 11 a 14 horas de sono de boa qualidade, incluindo cochilos, com horários regulares para dormir e acordar.

A influência da tecnologia na infância

Crianças de três a quatro anos de idade

Devem gastar ao menos 180 minutos em vários tipos de atividades físicas em qualquer intensidade. Pelo menos 60 minutos devem envolver atividades de intensidade moderada a elevada, repartidas ao longo do dia. Quanto mais, melhor;
Não devem ficar contidas por mais de uma hora seguida — por exemplo, em carrinhos de bebê — ou ficar sentadas por longos períodos. O tempo dedicado a atividades sedentárias em frente às telas não deve exceder uma hora. Quanto menos, melhor. Em momentos de inatividade, recomenda-se que um cuidador leia ou conte histórias;
Devem ter de 10 a 13 horas de sono de boa qualidade, que podem incluir cochilos, com horários regulares para dormir e acordar.

A influência da tecnologia na infância

Espero que gostem das informações! Até a próxima coluna.

A influência da tecnologia na infância

Autor

Sou Mayara Figueredo, tenho 33 anos. Mãe em tempo integral, esposa e administradora do lar!  Venha compartilhar seus momentos e experiências na maternidade comigo. Sejam bem vindos!

Deixe seu comentário

Pin It
Traduzir
error: Content is protected !!