O que é Síndrome de Burnout?

A Síndrome de Burnout é também conhecida como a Síndrome do Esgotamento Profissional. A doença atinge pessoas cujo a vida profissional e pessoal é muito exigida; pessoas que levam jornadas duplas podem acabar sendo um grupo fácil para sofrer da doença. Foi aplicado ao trabalhador, mas cada vez mais é usado para falar sobre o estresse das mães e também dos pais.

Síndrome de Burnout

O que causa a Síndrome de Burnout?

A síndrome de burnout está relacionado com o excessivo esforço físico, mental ou emocional, seguidos de poucos momentos de descanso ou descontração.

Nas mães

Que mãe não se sentiu exausta , desesperada, estressada, sobrecarregada … pronta para explodir? Educar e cuidar de crianças pode levar a mãe a uma sobrecarga física e emocional, especialmente se ela passa o dia todo com elas.

O redemoinho não tem fim e qualquer mãe e pai sabem que a multitarefa faz parte da rotina diária desde o início da manhã. Nós temos as mãos para tudo: com uma mão lavamos, penteamos e vestimos, com a outra preparamos o café da manhã e ajudamos a tirá-lo, o terceiro é preparar tudo o que é necessário para a escola e não vamos esquecer o quarto é aquele que os coloca em fila na frente da porta no horário indicado. Todos chegam brilhantes e bem preparados para a escola, mas você começa a trabalhar e percebe que esqueceu de pentear o cabelo ou usa a camisa do avesso.

Como não podemos nos sentir cansadas se não temos tempo para nós mesmas? Às vezes, todas as tarefas relacionadas a crianças , lar e trabalho não nos deixam um minuto livre por dia. Nem mesmo para aquele momento de repentino devaneio que invade todo ser humano. Então,  quando você já está imaginando banho bem gostoso, ou até mesmo comer, uma voz é ouvida: ‘mamãeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee”.

Síndrome de Burnout

Quais sintomas da Síndrome de Burnout?

  • Isolar socialmente  de seu ambiente;
  • Tem dificuldade de concentração;
  • Falta de sono;
  • Perda de apetite;
  • Irritabilidade;
  • Falta de memória;
  • Pessimismo e baixa autoestima;
  • Perda de prazer (comidas ou atividades que antes se gostava de praticar, momentos com a família, etc.)
  • Maior suscetibilidade à doenças.

Como identificar?

A Síndrome de Burnout pode ser facilmente confundida, o melhor a se fazer é procurar um Psicólogo, que te ajudará a identificar se você tem ou não a síndrome.

Leia também:

Depressão pós-parto: sintomas e tratamento

Síndrome de Burnout

Como prevenir a síndrome?

A prevenção ocorre através de formas e práticas simples que podem ser utilizadas em determinados momentos da vida e não exige tanto. Como:

  • Prática de exercícios físicos;
  • Alimentação adequada;
  • Momentos de Lazer;
  • Menos cobranças;
  • Reorganização;
  • Meditação ou Yoga.

Como tratar a síndrome de burnout?

Cuidados médicos neste momento são bem vindos. Um acompanhamento adequado com um médico especialista irá passar atividades que possam ajudar a distrair tornando o paciente mais calmo e aliviando todo o estresse e tensão que sente.

Como combater a síndrome de burnout nas mães

Delegar

A palavra chave, nós queremos ser heroínas, é claro, mas não precisa. Pedir ajuda não é sinal de fraqueza e pode aliviar nossas tarefas diárias. Contar com uma rede de apoio é bem importante.

Manter contato

O isolamento social não é nada positivo. Agora, com a tecnologia, não é difícil manter o papo em dia. Mas, se além disso, podemos deixar as crianças com alguém próximo para tomar um café, isso significa uma incrível recarga de bateria.

Reserve um tempo para si mesmo

Ser mãe ou pai não significa deixar de ser uma pessoa. Tente economizar algum tempo, por menor que seja, para aquele passatempo favorito, seja lendo, praticando ioga ou dando um passeio. Ou até mesmo para se cuidar, tire um dia vá ao salão de beleza, cuide-se e se sinta bem. Falo muito sobre isso nas redes sociais. Confira aqui!

É muito importante que estejamos bem para poder cuidar de tudo com prazer e felicidade. Eu fiz a escolha de estar com meus filhos integralmente e esta rotina diária não é fácil , cansa, nos suga por completo, mas é muito gratificante ver um sorriso no rosto deles e ouvir eu te amo quando você menos espera.
Quanto a rede de apoio confesso que não sou adepta, prefiro resolver tudo sem precisar de ajuda, a não ser que seja em último caso.
Espero que tenha gostado e fiquem de olho para não chegar a esse ponto. Deixe seu comentário, faça um relato, compartilhe com as amigos (os).
Autor

Sou Mayara Figueredo, tenho 33 anos. Mãe em tempo integral, esposa e administradora do lar!  Venha compartilhar seus momentos e experiências na maternidade comigo. Sejam bem vindos!

1 Comentários

  1. Leandro Figueredo Resposta

    Ótimo post!!!
    Senti falta da figura masculina (Pai), para auxiliar a mãe nas atividades do dia a dia.

Deixe seu comentário

Pin It
Traduzir
error: Content is protected !!